RSS

Ária às Almas

16 Mar

auto destruição

 

Ária às Almas

 

 

Eu venho aqui cantar para as almas,

Arranhar a lira soturna dos lamentos.

É nesta hora nefasta que a dor em mim preside,

Assim como vermes sobre a carne podre.

 

Esses espectros que semeiam minhas angústias,

Abafadas pelo silente desespero de quem busca a morte,

São a vil personificação de meus demônios.

Que me devoram a cada instante com iniqüidade.

 

Fatidicamente vilipendiado, nasci do gene dos seres sofredores.

Vítima do atavismo medonho de minha estirpe,

Sucumbi-me ao jugo da solidão perene.

 

Escutem, infaustas almas, meu canto de agonia:

Quis eu, a ventura de Endimião,

Passar a vida sob sono perpétuo…

 

 

Bruno Ribeiro

 

desânimo

 

http://www.spectrumgothic.com.br/literatura/poemas/visitantes/galeria01/aria.htm

Anúncios
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 16 de Março de 2011 em alma, bruno ribeiro, dor, morte, poesia, spectrumgothic, vida

 

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: