RSS

Arquivos diários: 31 de Março de 2011

música para hoje II

Nightwish – Phantom of the Opera

 

[CHRISTINE:]
In sleep he sang to me
In dreams he came
That voice which calls to me
And speaks my name
And do I dream again
For now I find
The Phantom of the opera is there
Inside my mind

[PHANTOM:]
Sing once again with me
Our strange duet
My power over you
Grows stronger yet
And though you turn from me
To glance behind
The Phantom of the opera is there
Inside your mind

[CHRISTINE:]
Those who have seen your face
Draw back in fear
I am the mask you wear

[PHANTOM:]
It’s me they hear

[TOGETHER:]
My/your spirit and your/my voice
In one combined
The phantom of the opera is there
Inside your/my mind

He’s there the Phantom of the opera
Beware the Phantom of the opera

[PHANTOM:]
In all your fantasies
You always knew
That man and mystery

[CHRISTINE:]
Were both in you

[TOGETHER:]
And in this labyrinth
Where night is blind
The phantom of the opera is there
Inside your/my mind

[PHANTOM:]
Sing my angel of music


adoro…

Anúncios
 
1 Comentário

Publicado por em 31 de Março de 2011 em música, nightwish

 

Etiquetas: , ,

solidão II

 

“A solidão é muito bela, mas quando se tem perto de si alguém a quem o dizer.”

Fonte: “Cartas Literárias a uma Mulher”
Autor: Bécquer , Gustavo

A vida é um percurso árduo se o percorrermos sozinho, como o tenho feito. Já foi bem mais fácil para mim enfrentar o dia-a-dia face ao futuro sozinho. Agora custa-me mais, bem mais, talvez porque saiba que não precisava de estar sozinho, talvez porque saiba que com alguém a nosso lado é bem mais suportável e bem mais fácil. Paradoxalmente, quero alguém mas não me consigo entregar agora, tenho medo. A alma ainda está esquartejada de cicatrizes abertas que sangram dor e sofrimento. Infelizmente não há uma cura física para este ser metafísico que é a nossa alma…

 

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Gustavo_Adolfo_B%C3%A9cquer

 
2 Comentários

Publicado por em 31 de Março de 2011 em alma, dor, eu, solidão

 

Etiquetas: , , , ,

amo-te

 

Eu simplesmente amo-te

Eu amo-te sem saber como, ou quando, ou a partir de onde. Eu simplesmente amo-te, sem problemas ou orgulho: eu amo-te desta maneira porque não conheço qualquer outra forma de amar sem ser esta, onde não existe eu ou tu, tão intimamente que a tua mão sobre o meu peito é a minha mão, tão intimamente que quando adormeço os teus olhos fecham-se.

Pablo Neruda, in “Cem Sonetos de Amor”

 


 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 31 de Março de 2011 em amor, eu, pablo neruda

 

Etiquetas: , ,

 
%d bloggers like this: