RSS

sereia

07 Jul

Quantas vezes me sentei, ali, imóvel na praia

Correndo com os olhos o infinito do horizonte

Na esperança fugaz mas, ainda, presente

De te ouvir, de te ver, de te sentir

Olho pelo meio das rochas

Podes ali estar, sem eu ver

E espero, e olho atentamente

Aquele infinito mar que te devia trazer

Trazer, até mim, que te amo minha sereia…

sereia

Anúncios
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 7 de Julho de 2011 em alma, amor, eu

 

Etiquetas: , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: