RSS

Arquivos diários: 12 de Setembro de 2011

amor L

…agora e na hora de nossa morte…

Muito orei pra não ver este momento
Pra não sentir o cheiro destas flores
Agora é tarde, tudo foi em vão
Anjos e Demônios
Dançam em minha cabeça
Não tem mais peso as mentiras
nem extensão as verdades
Tudo agora é um grande vazio
Um buraco em minha existência
E pouco a pouco, vou perdendo o controle
Não consigo entender
Ninguém precisa mais de você, do que Eu
Não eram essas as flores que você merecia
Agora muito depressa, estou perdendo o controle
Não há mais vontade alguma
Agora me falta o “Alguém”.

Zéka Campos

Anjos e Demônios Dançam em minha cabeça

Anúncios
 
 

Etiquetas: , , ,

loucura V

Mordaz mente de um Louco

Triste dor que pulsa em meu coração;
Não sabia que as luzes se apagariam,
E nem mesmo o brilho das lágrimas,
Mostraria-me o caminho de volta ao coração.

As estrelas ainda dão vida à noite,
Mas em meu coração nada parece viver;
Longe dos sorrisos que já brilharam em meus lábios,
Estou tão perto do túmulo, e meus sonhos parecem morrer…

Agora estou sob atenção,
Fugindo do que sempre esteve dentro,
E a cada instante aumenta a solidão…
A faca está tão aguçada,
Sinto-a atravessar meu coração.

Até quando vagar em busca de vida,
Meu mundo cinza está tão longe das estrelas
Resta-me a escuridão, e com ela tudo o que não se pode ver;
Na mordaz mente de um louco, em busca do anoitecer.

Genaína de Oliveira


 
 

Etiquetas: , ,

ansiedade II

Só Sente Ansiedade pelo Futuro aquele cujo Presente é Vazio

O principal defeito da vida é ela estar sempre por completar, haver sempre algo a prolongar. Quem, todavia, quotidianamente der à própria vida “os últimos retoques” nunca se queixará de falta de tempo; em contrapartida, é da falta de tempo que provém o temor e o desejo do futuro, o que só serve para corroer a alma. Não há mais miserável situação do que vir a esta vida sem se saber qual o rumo a seguir nela; o espírito inquieto debate-se com o inelutável receio de saber quanto e como ainda nos resta para viver. Qual o modo de escapar a uma tal ansiedade? Há um apenas: que a nossa vida não se projecte para o futuro, mas se concentre em si mesma. Só sente ansiedade pelo futuro aquele cujo presente é vazio. Quando eu tiver pago tudo quanto devo a mim mesmo, quando o meu espírito, em perfeito equilíbrio, souber que me é indiferente viver um dia ou viver um século, então poderei olhar sobranceiramente todos os dias, todos os acontecimentos que me sobrevierem e pensar sorridentemente na longa passagem do tempo! Que espécie de perturbação nos poderá causar a variedade e instabilidade da vida humana se nós estivermos firmes perante a instabilidade? Apressa-te a viver, caro Lucílio, imagina que cada dia é uma vida completa. Quem formou assim o seu carácter, quem quotidianamente viveu uma vida completa, pode gozar de segurança; para quem vive de esperanças, pelo contrário, mesmo o dia seguinte lhe escapa, e depois vem a avidez de viver e o medo de morrer, medo desgraçado, e que mais não faz do que desgraçar tudo.

Séneca, in ‘Cartas a Lucílio’

Como eu entendo… “Só sente ansiedade pelo futuro aquele cujo presente é vazio. “

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 12 de Setembro de 2011 em ansiedade, futuro, seneca, tempo, vida

 

Etiquetas: , , , ,

 
%d bloggers like this: