RSS

Arquivos mensais: Abril 2012

vida #67

Tenho Tanto Sentimento
.
Tenho tanto sentimento 
Que é frequente persuadir-me 
De que sou sentimental, 
Mas reconheço, ao medir-me, 
Que tudo isso é pensamento, 
Que não senti afinal. 
.
Temos, todos que vivemos, 
Uma vida que é vivida 
E outra vida que é pensada, 
E a única vida que temos 
É essa que é dividida 
Entre a verdadeira e a errada. 
.
Qual porém é a verdadeira 
E qual errada, ninguém 
Nos saberá explicar; 
E vivemos de maneira 
Que a vida que a gente tem 
É a que tem que pensar. 
.
Fernando Pessoa, in “Cancioneiro”


 
4 Comentários

Publicado por em 29 de Abril de 2012 em fernando pessoa, poesia, vida

 

Etiquetas: , ,

caminhos…

A vida é uma encruzilhada infinita de caminhos, um  percurso cheio de hipóteses, escolhas e opções. Quantas vezes calcamos até que se nos depara um beco sem saída, sem futuro. Por vezes esse beco sem saída é um caminho que nos fecham ou que nos impedem de percorrer e ficámos sem saber o que fazer. Por um lado é aquele caminho que queremos percorrer, é aquele futuro que queremos para a nossa vida, por outro lado somos impedidos de seguir por esse caminho. E a vida pára, nem avançamos porque já não há saída, nem voltamos para trás nem escolhemos outro caminho porque não queremos. Os passos param mas o tempo continua, implacável e insensível à nossa paragem na vida. As lutas começam, por um lado queremos viver, por outro lado, era aquele futuro que queríamos e outro caminho que não aquele não é vida nem faz sentido. Quanto tempo mais perderei neste beco sem saída para o qual conduzi a minha vida? Eu sei que já dei passos grandes para sair daqui mas sei que ainda algo me agarra, algo me faz permanecer estático e inerte nesse beco. A vida é um labirinto de oportunidades e lutei tanto por uma que não vi as outras todas que perdi, que deixei escapar… Irónico…

 
16 Comentários

Publicado por em 29 de Abril de 2012 em eu, vida

 

Etiquetas: ,

retrospecção…

Foi um fim de semana retrospectivo, para pensar na vida. Preciso de saber respostas que sei estarem dentro de mim mas que não consigo encontrar. Sei que estas respostas ninguém mas pode dar, eu é que tenho de as descobrir. Penso que ainda não me libertei totalmente do passado, que ainda arrasto comigo essas mágoas de tempos idos mas que ainda me ferem. Anseio desesperadamente que esse passado não me afecte mais, enquanto isso ainda acontecer, sinto que não construirei nenhum futuro para mim, não há futuro que aguente apoiado em bases frágeis…

 
3 Comentários

Publicado por em 29 de Abril de 2012 em eu, vida

 

Etiquetas: ,

amor #59

De um Amor Morto

De um amor morto fica 
Um pesado tempo quotidiano 
Onde os gestos se esbarram 
Ao longo do ano 

De um amor morto não fica 
Nenhuma memória 
O passado se rende 
O presente o devora 
E os navios do tempo 
Agudos e lentos 
O levam embora 

Pois um amor morto não deixa 
Em nós seu retrato 
De infinita demora 
É apenas um facto 
Que a eternidade ignora 

Sophia de Mello Breyner Andresen, in “Geografia”

alguns amores são como velas apagadas, não gastam mas também não dão luz nem dão calor... não evoluem, estagnam na dimensão do tempo...

 
2 Comentários

Publicado por em 28 de Abril de 2012 em amor, poesia, Sophia de Mello Breyner Andresen

 

Etiquetas: , ,

cansaço #3

“Time has come, to rest these tired eyes”

Nikolaj Grandjean – Heroes & Saints

Uma das mais lindas músicas de sempre, e cheia de significado para mim…

 
2 Comentários

Publicado por em 24 de Abril de 2012 em cansaço

 

Etiquetas:

memórias #4

“A memória é o espelho onde observamos os ausentes.”

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 24 de Abril de 2012 em memória, solidão

 

Etiquetas: ,

passado #2

Já que hoje estava na nostalgia do passado, lembrei-me de ir ver o que tinha escrito no ano passado, neste mesmo dia, foi este pensamento…

just an earth bound misfit... i

Amor é uma palavra incompleta, que só se completa a dois…


View original post

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 24 de Abril de 2012 em memória, tempo, vida

 

Etiquetas: , ,

música #24

Bem, é véspera de feriado, bom para ouvir música e afastar todos os pensamentos de coisas más… Aqui fica um dos meus álbuns favoritos, espero que gostem:

Linkin Park – Meteora (álbum completo)

 
11 Comentários

Publicado por em 24 de Abril de 2012 em linkin park, música

 

Etiquetas: ,

passado…

“Sometimes I remember
The darkness of my past
Bringing back these memories
I wish I didn’t have”

Linkin Park – Easier to run

se fosse possível apagar todas estas memórias...

 
4 Comentários

Publicado por em 24 de Abril de 2012 em tempo, vida

 

Etiquetas: ,

talvez…

talvez eu fosse uma simples flor

no jardim da tua vida

talvez não me quisesses regar
 
com todo o teu amor
 
talvez eu não merecesse isso
 
mas eu morri à tua sombra
 
talvez eu não quisesse o sol
 
e só te quisesse a ti
 
talvez a minha semente ainda vá voar
 
e outro eu renasça
 
talvez nesse dia percebas
 
que quem morreu foste tu…
 
talvez…
 
3 Comentários

Publicado por em 21 de Abril de 2012 em amor, vida

 

Etiquetas: ,

desejo

Há dias tão tristes,

em que o único desejo

já nem é ser feliz…

mas sim… não ser infeliz…

Pearl Jam – Wishlist

I wish I was a neutron bomb, for once I could go off
I wish I was a sacrifice but somehow still lived on
I wish I was a sentimental ornament you hung on
The Christmas tree, I wish I was the star that went on top
I wish I was the evidence, I wish I was the grounds
For 50 million hands upraised and open toward the sky

I wish I was a sailor with someone who waited for me
I wish I was as fortunate, as fortunate as me
I wish I was a messenger and all the news was good
I wish I was the full moon shining off a Camaro’s hood

I wish I was an alien at home behind the sun
I wish I was the souvenir you kept your house key on
I wish I was the pedal brake that you depended on
I wish I was the verb ‘to trust’ and never let you down

I wish I was a radio song, the one that you turned up
I wish…
I wish…

 
2 Comentários

Publicado por em 20 de Abril de 2012 em sofrimento, vida

 

Etiquetas: ,

de que vale #2

Sinto-me assim outra vez, espero que só hoje…

just an earth bound misfit... i

De que vale…

De que vale…
o meu olhar?
Se vivo na cegueira de não te ver…

De que vale…
o meu coração bater?
Se não bate em sincronia com o teu…

De que vale…
o calor do meu corpo?
Se vive na frieza da tua distância…

De que vale…
o meu reino?
Se vivo na ausência da minha rainha…

De que vale…
o mundo ser um jardim?
Se não te posso oferecer uma rosa…

De que vale…
a minha vida?
Se vivo na morte de não te ter…

De que vale…
a minha alma?
Se não está entrelaçada com a tua…

De que vale…
tudo?
Se tenho o nada…

De que vale…
a felicidade?
Se vivo na tristeza da tua distância…

De que vale…
todo o mundo?
Se vivo na solidão da tua ausência…

De que vale…
o sorriso?
Se me caem lágrimas…

De que vale…
a liberdade?
Se…

View original post mais 63 palavras

 
1 Comentário

Publicado por em 19 de Abril de 2012 em sofrimento, solidão

 

Etiquetas: ,

solidão #15

Há dias tristes, quero dizer, mais tristes. Pareceu-me tão insuportável a solidão hoje, solidão é não te ter a meu lado mesmo na companhia do resto do mundo. Como o paraíso é ter-te a meu lado, sinto-me no inferno. Não entendo como ainda tenho dias assim se o que eu preciso é estar sozinho para recuperar das mágoas que me deste, das feridas que me abriste, das cicatrizes que ainda não fecharam. Não entendo como parte de mim ainda te deseja, ainda te ama, ainda te quer… Dia em que não consigo ser positivo, não consigo acreditar nas minhas próprias palavras quando me digo que vou ficar bem, mesmo sem ti. Duvido de mim mesmo, luto comigo e não venço nunca. Nunca me venço, nunca te venço. Parece que não ganho, nem perco, tudo parece imutável à passagem do tempo, especialmente esta dor que me vence hoje…

System Of A Down – Lonely Day

Such a lonely day
And it’s mine
The most loneliest day in my life

Such a lonely day
Should be banned
It’s a day that I can’t stand

The most loneliest day in my life
The most loneliest day in my life

Such a lonely day
Shouldn’t exist
It’s a day that I’ll never miss

Such a lonely day
And it’s mine
The most loneliest day in my life

And if you go
I wanna go with you
And if you die
I wanna die with you

Take your hand
And walk away

The most loneliest day in my life
The most loneliest day in my life
The most loneliest day in my life

Such a lonely day
And it’s mine
It’s a day that I’m glad I survived

 
4 Comentários

Publicado por em 19 de Abril de 2012 em amor, luta, sofrimento, vida

 

Etiquetas: , , ,

memórias #3

Esta música transporta-me para tempos felizes, para tempos idos, para um passado em que eu gostava de mim próprio, sem mágoas nem dores, vazio de sofrimentos… Tudo era belo, a vida era bela e valia a pena ser vivida. Olho para trás e sei que o voltarei a ser…

Cuando la pena cae sobre mi
El mundo deja ya de existir
Miro hacia atrás y busco entre mis recuerdos
Para encontrar la niña que fui
Y algo de todo lo que perdí
Miro hacia atrás y busco entre mis recuerdos
Sueño con noches brillantes al borde
De un mar de aguas claras y puras
Y un aire cubierto de azahar
Cada momento era especial
Días de prisas, tardes de paz
Miro hacia atrás y busco entre mis recuerdos
Yo quisiera volver a encontrar la pureza
Nostalgia de tanta inocencia que tan poco tiempo duró
Con el veneno sobre mi piel
Frente a las sombras de la pared
Miro hacia atrás y busco entre mis recuerdos
Y si las lagrimas vuelven
Ellas me harán más fuerte.

 

Yo quisiera volver a encontrar la pureza
Nostalgia de tanta inocencia que tan poco tiempo duró
Cuando la pena cae sobre mi
Quiero encontrar aquello que fui
Miro hacia atrás y busco entre mis recuerdos
Vuelvo hacia atrás y busco entre mis recuerdos.
 
1 Comentário

Publicado por em 18 de Abril de 2012 em música, memória, tempo, vida

 

Etiquetas: , , ,

difícil adeus

Adeus pode ser a palavra mais difícil que podemos ter de dizer a alguém. O adeus é o inferno em vez do paraíso, é a ausência em vez da presença, é o vazio em vez do preenchimento. é a infelicidade em vez da felicidade, é a saudade em vez do amor… É a tormenta da falta daquele amor, daquele abraço, daquele beijo, daquela pessoa tão especial, da alma que está entrelaçada à nossa e que nos custa tanto deixar ir porque leva com ela a nossa própria essência.

James Blunt – Goodbye My Lover

Did I disappoint you or let you down?
Should I be feeling guilty or let the judges frown?
‘Cause I saw the end before we’d begun,
Yes I saw you were blinded and I knew I had won.
So I took what’s mine by eternal right.
Took your soul out into the night.
It may be over but it won’t stop there,
I am here for you if you’d only care.
You touched my heart you touched my soul.
You changed my life and all my goals.
And love is blind and that I knew when,
My heart was blinded by you.
I’ve kissed your lips and held your hand.
Shared your dreams and shared your bed.
I know you well, I know your smell.
I’ve been addicted to you.

[x2]
Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.

I am a dreamer and when I wake,
You can’t break my spirit – it’s my dreams you take.
And as you move on, remember me,
Remember us and all we used to be
I’ve seen you cry, I’ve seen you smile.
I’ve watched you sleeping for a while.
I’d be the father of your child.
I’d spend a lifetime with you.
I know your fears and you know mine.
We’ve had our doubts but now we’re fine,
And I love you, I swear that’s true.
I cannot live without you.

[x2]
Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.

And I still hold your hand in mine.
In mine when I’m asleep.
And I will bare my soul in time,
When I’m kneeling at your feet.
Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.

I’m so hollow, baby, I’m so hollow.
I’m so, I’m so, I’m so hollow.
I’m so hollow, baby, I’m so hollow.
I’m so, I’m so, I’m so hollow.


 
11 Comentários

Publicado por em 18 de Abril de 2012 em amor, ausência, tristeza, vida

 

Etiquetas: , , ,

 
%d bloggers like this: