RSS

Arquivos diários: 29 de Abril de 2012

vida #67

Tenho Tanto Sentimento
.
Tenho tanto sentimento 
Que é frequente persuadir-me 
De que sou sentimental, 
Mas reconheço, ao medir-me, 
Que tudo isso é pensamento, 
Que não senti afinal. 
.
Temos, todos que vivemos, 
Uma vida que é vivida 
E outra vida que é pensada, 
E a única vida que temos 
É essa que é dividida 
Entre a verdadeira e a errada. 
.
Qual porém é a verdadeira 
E qual errada, ninguém 
Nos saberá explicar; 
E vivemos de maneira 
Que a vida que a gente tem 
É a que tem que pensar. 
.
Fernando Pessoa, in “Cancioneiro”


Anúncios
 
4 Comentários

Publicado por em 29 de Abril de 2012 em fernando pessoa, poesia, vida

 

Etiquetas: , ,

caminhos…

A vida é uma encruzilhada infinita de caminhos, um  percurso cheio de hipóteses, escolhas e opções. Quantas vezes calcamos até que se nos depara um beco sem saída, sem futuro. Por vezes esse beco sem saída é um caminho que nos fecham ou que nos impedem de percorrer e ficámos sem saber o que fazer. Por um lado é aquele caminho que queremos percorrer, é aquele futuro que queremos para a nossa vida, por outro lado somos impedidos de seguir por esse caminho. E a vida pára, nem avançamos porque já não há saída, nem voltamos para trás nem escolhemos outro caminho porque não queremos. Os passos param mas o tempo continua, implacável e insensível à nossa paragem na vida. As lutas começam, por um lado queremos viver, por outro lado, era aquele futuro que queríamos e outro caminho que não aquele não é vida nem faz sentido. Quanto tempo mais perderei neste beco sem saída para o qual conduzi a minha vida? Eu sei que já dei passos grandes para sair daqui mas sei que ainda algo me agarra, algo me faz permanecer estático e inerte nesse beco. A vida é um labirinto de oportunidades e lutei tanto por uma que não vi as outras todas que perdi, que deixei escapar… Irónico…

 
16 Comentários

Publicado por em 29 de Abril de 2012 em eu, vida

 

Etiquetas: ,

retrospecção…

Foi um fim de semana retrospectivo, para pensar na vida. Preciso de saber respostas que sei estarem dentro de mim mas que não consigo encontrar. Sei que estas respostas ninguém mas pode dar, eu é que tenho de as descobrir. Penso que ainda não me libertei totalmente do passado, que ainda arrasto comigo essas mágoas de tempos idos mas que ainda me ferem. Anseio desesperadamente que esse passado não me afecte mais, enquanto isso ainda acontecer, sinto que não construirei nenhum futuro para mim, não há futuro que aguente apoiado em bases frágeis…

 
3 Comentários

Publicado por em 29 de Abril de 2012 em eu, vida

 

Etiquetas: ,

 
%d bloggers like this: