RSS

introspecção

13 Jun

Introspecção

O vento vocifera
quando chega a noite
para se anichar
nos braços das árvores
caladas que escutam
o rugir da fera
a deambular
nas veredas escusas
das almas perdidas
onde o silêncio grita
os inconfessáveis
segredos da morte
que mudos escorregam
pelo indizível
das coisas que dizem
sem nunca dizer
que só o que é finito
se torna possível
e merece viver…

Adelino Torres –  Cantos do crepúsculo

Anúncios
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 13 de Junho de 2012 em poesia

 

Etiquetas:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: