RSS

pássaro sem asas

13 Jun

Rodopio

Sou um pássaro sem asas
que estranhamente voa
entre o certo e o incerto

no reino do sem sentido
onde dúvidas percorrem
os caminhos transversais

em circuitos de acaso
nessas verdades que morrem
e nascem uma vez mais

como fénix caída
dos verdes jardins suspensos
em contos orientais.

Adelino Torres –  Cantos do crepúsculo

Advertisements
 
5 Comentários

Publicado por em 13 de Junho de 2012 em poesia

 

Etiquetas:

5 responses to “pássaro sem asas

  1. pedacinhosdaminhaalma

    13 de Junho de 2012 at 22:59

    Lindo!
    Rvejo-me neste poema.

    “Sou um pássaro sem asas
    que estranhamente voa
    entre o certo e o incerto”

     
    • jorgemiguelcs

      14 de Junho de 2012 at 10:41

      Também me revi. O que é certo hoje, amanhã pode não o ser mais e o que parece agora incerto ou improvável ou mesmo impossível pode ser o certo de amanhã. O amanhã é a incerteza da certeza ou a certeza da incerteza…

       
  2. pedacinhosdaminhaalma

    14 de Junho de 2012 at 22:22

    Mesmo…
    Neste momento a minha vida está pendente por um tempo incerto e sem certezas

     
    • jorgemiguelcs

      16 de Junho de 2012 at 18:26

      É apenas temporário :).

       
      • pedacinhosdaminhaalma

        16 de Junho de 2012 at 22:23

        Espero que sim…

         

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: