RSS

Arquivo da Categoria: ausência

difícil adeus

Adeus pode ser a palavra mais difícil que podemos ter de dizer a alguém. O adeus é o inferno em vez do paraíso, é a ausência em vez da presença, é o vazio em vez do preenchimento. é a infelicidade em vez da felicidade, é a saudade em vez do amor… É a tormenta da falta daquele amor, daquele abraço, daquele beijo, daquela pessoa tão especial, da alma que está entrelaçada à nossa e que nos custa tanto deixar ir porque leva com ela a nossa própria essência.

James Blunt – Goodbye My Lover

Did I disappoint you or let you down?
Should I be feeling guilty or let the judges frown?
‘Cause I saw the end before we’d begun,
Yes I saw you were blinded and I knew I had won.
So I took what’s mine by eternal right.
Took your soul out into the night.
It may be over but it won’t stop there,
I am here for you if you’d only care.
You touched my heart you touched my soul.
You changed my life and all my goals.
And love is blind and that I knew when,
My heart was blinded by you.
I’ve kissed your lips and held your hand.
Shared your dreams and shared your bed.
I know you well, I know your smell.
I’ve been addicted to you.

[x2]
Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.

I am a dreamer and when I wake,
You can’t break my spirit – it’s my dreams you take.
And as you move on, remember me,
Remember us and all we used to be
I’ve seen you cry, I’ve seen you smile.
I’ve watched you sleeping for a while.
I’d be the father of your child.
I’d spend a lifetime with you.
I know your fears and you know mine.
We’ve had our doubts but now we’re fine,
And I love you, I swear that’s true.
I cannot live without you.

[x2]
Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.

And I still hold your hand in mine.
In mine when I’m asleep.
And I will bare my soul in time,
When I’m kneeling at your feet.
Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.

I’m so hollow, baby, I’m so hollow.
I’m so, I’m so, I’m so hollow.
I’m so hollow, baby, I’m so hollow.
I’m so, I’m so, I’m so hollow.


 
11 Comentários

Publicado por em 18 de Abril de 2012 em amor, ausência, tristeza, vida

 

Etiquetas: , , ,

ausência II

Confissão
Vivo um drama interior. 
Já nele pouco a pouco me consumo. 
E de tanto te buscar, 
Mas sem nunca te encontrar, 
Sou como um barco sem leme, 
Que perdesse o rumo, 
No alto mar. 

Da minha vida, assim, 
O que vai ser nem sei! 
Dias alegres houvesse… 
E os dias são para mim 
Rosas mortas de um jardim 
Que um vendaval desfizesse. 

Tenho horas bem amargas. 
Eu o confesso, 
Eu o digo. 
E se tudo passa e esqueço, 
Esquecer o teu perfil 
É coisa que eu não consigo. 

Sofro por ti. O frio do que morre 
Amortalha a minha alma em saudade. 
Atrás de uma ilusão a minha vida corre, 
Como se fora atrás de uma verdade. 

A Deus peço, por fim, o meu sossego antigo. 
Não me persiga mais o teu busto delgado. 
Passo os dias e as noites a sonhar contigo, 
Na cruz da tua ausência estou crucificado. 

A tua falta sinto. Não o oculto. 
Ocultá-lo seria uma mentira. 
Vejo por toda a parte a sombra do teu vulto, 
Teu nome é para mim um mundo que me inspira. 

E em hora derradeira, 
Um dia, quando 
A Morte vier, 
E aos meus olhos chegar, 
Eu não terei sequer, à minha beira, 
Uns dedos finos de mulher 
Que mos possam fechar. 

Alfredo Brochado, in “Bosque Sagrado”

E os dias são para mim Rosas mortas de um jardim

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 29 de Agosto de 2011 em Alfredo Brochado, amor, ausência, poesia, saudade

 

Etiquetas: , , , ,

ausência

ausência

 

“A ausência apaga as pequenas paixões e fortalece as grandes.”

Autor: La Rochefoucauld , François

 

saudade

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Fran%C3%A7ois_de_La_Rochefoucauld

 
 

Etiquetas: , ,

 
%d bloggers like this: