RSS

Arquivo da Categoria: eu

erros #3

I kept the right ones out
And let the wrong ones in…

Aerosmith – Amazing

Chained_Door_by_Kinyin

 
5 Comentários

Publicado por em 17 de Junho de 2012 em eu, vida

 

Etiquetas: ,

casa #2

Tenho a certeza que iria adorar viver nesta casinha, ao lado do mar…

Tudo é incrivelmente belo e calmo em seu redor…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fica em A Ver-o-Mar e pertenceu à escritora Luísa Dacosta.

 
2 Comentários

Publicado por em 1 de Junho de 2012 em eu, mar, vida

 

Etiquetas: , ,

naufrágio do ser


O maior naufrágio de um ser é quando se afoga no oceano das suas próprias lágrimas. Quando chega à superfície desse mesmo oceano e não tem nada aonde se agarrar, nada à volta para aonde nadar em segurança, nem um porto à vista, nenhum sinal de terra firme. Quando as forças se perdem volta a afogar-se a pensar no barco da vida aonde já velejou. Hoje sinto-me num desses dias, sem forças…

 
1 Comentário

Publicado por em 24 de Maio de 2012 em eu, vida

 

Etiquetas: ,

cansaço #4

Sinto cada vez mais este cansaço
De tanta batalha travada e perdida
Sinto cada vez menos um abraço
Nesta existência chamada de vida
.
Sinto cada vez menos que sou forte
Cansado do meu corpo e da mente
Sinto cada vez mais perto a morte
Espero por ela muito serenamente
.
E meu coração nem à noite sossega
E as horas passam numa escuridão
Sem me teres dado a tua total entrega
Descanso-me aqui na maior solidão
.
Tento entender porque não te esqueço
E odeio-me por não deixar de te amar
Na memória deste amor me aqueço
Sem o calor da beleza do teu olhar
.
 
1 Comentário

Publicado por em 21 de Maio de 2012 em cansaço, eu, vida

 

Etiquetas: , ,

carta… à minha alma

Vai alma, vai, percorre dolorosamente essa via sacra que é a tua vida. Percorre cada palmo, cada centímetro penoso desse caminho errante na mais solitária das solidões. Bem tentas encontrar outra sombra que faça companhia à tua mas não, não encontras nenhuma sombra que queira a companhia da tua. Tudo te dói, tudo te fere, tudo te magoa nesse longo percurso. Cada vez que tentas levantar-te algo ou alguém te desfaz, te desfragmenta mais ainda essa alma. Para ti minha alma, que tanto sofres, que tanto mereces, embora nem sempre o aches, para ti, desejo que te levantes, que faças esse percurso de uma só vez pois, no fim, lá estará à tua espera esse arco-íris da felicidade. Deixarás de ver todo esse cinzento e preto com que pintas e te pintam a vida para veres todas essas cores desse arco-íris que te parece tão utópico, tão irreal, tão longínquo… Mas quero que saibas que existe, que está ao teu alcance, que és capaz de lá chegar. Desejo-te que lá chegues pois alma, tu és eu e eu sou tu. Eu sou o corpo e mente a quem dás vida, mas tens de estar bem minha alma, para que eu também o esteja.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 16 de Maio de 2012 em alma, dor, eu, vida

 

Etiquetas: , , ,

caminhos…

A vida é uma encruzilhada infinita de caminhos, um  percurso cheio de hipóteses, escolhas e opções. Quantas vezes calcamos até que se nos depara um beco sem saída, sem futuro. Por vezes esse beco sem saída é um caminho que nos fecham ou que nos impedem de percorrer e ficámos sem saber o que fazer. Por um lado é aquele caminho que queremos percorrer, é aquele futuro que queremos para a nossa vida, por outro lado somos impedidos de seguir por esse caminho. E a vida pára, nem avançamos porque já não há saída, nem voltamos para trás nem escolhemos outro caminho porque não queremos. Os passos param mas o tempo continua, implacável e insensível à nossa paragem na vida. As lutas começam, por um lado queremos viver, por outro lado, era aquele futuro que queríamos e outro caminho que não aquele não é vida nem faz sentido. Quanto tempo mais perderei neste beco sem saída para o qual conduzi a minha vida? Eu sei que já dei passos grandes para sair daqui mas sei que ainda algo me agarra, algo me faz permanecer estático e inerte nesse beco. A vida é um labirinto de oportunidades e lutei tanto por uma que não vi as outras todas que perdi, que deixei escapar… Irónico…

 
16 Comentários

Publicado por em 29 de Abril de 2012 em eu, vida

 

Etiquetas: ,

retrospecção…

Foi um fim de semana retrospectivo, para pensar na vida. Preciso de saber respostas que sei estarem dentro de mim mas que não consigo encontrar. Sei que estas respostas ninguém mas pode dar, eu é que tenho de as descobrir. Penso que ainda não me libertei totalmente do passado, que ainda arrasto comigo essas mágoas de tempos idos mas que ainda me ferem. Anseio desesperadamente que esse passado não me afecte mais, enquanto isso ainda acontecer, sinto que não construirei nenhum futuro para mim, não há futuro que aguente apoiado em bases frágeis…

 
3 Comentários

Publicado por em 29 de Abril de 2012 em eu, vida

 

Etiquetas: ,

paz

“A paz não significa estar num lugar onde não há nenhuma confusão, barulho, ou trabalho árduo. Significa estar no meio de todas essas coisas e ainda assim ter o coração calmo.”

É o meu próximo passo, a paz interior. Consigo sentir guerra dentro de mim ainda que envolto em paz exterior. Todo este passado me rouba a paz que tanto tenho desejado.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 31 de Março de 2012 em alma, eu, paz

 

Etiquetas: , ,

(in)felicidade #3

Desejava ser possível

juntar toda esta tristeza

pintá-la numa tela

contá-la num conto

cantá-la numa melodia

escrevê-la numa prosa

rimá-la numa poesia

chorá-la numa lágrima

dissolvê-la no mar

e, que ela simplesmente

passasse…

 
2 Comentários

Publicado por em 20 de Março de 2012 em dor, eu, lágrima, sofrimento, tristeza

 

Etiquetas: , , , ,

dia do pai :(

Hoje é dia do pai… Dia que me deixa duplamente infeliz. Por um lado o desgosto de ter tido um pai que só o foi de nome, de resto, nunca foi verdadeiramente meu pai, muito pelo contrário… eu nunca faria o que ele me fez a ninguém, muito menos a um filho. Por outro lado, o desgosto de não ter filhos, algo que evito desejar mas que me massacra a mente todos os dias. O dia já se adivinhava infeliz e desgostoso, não precisava do bónus que tive, ter de rever quem mais me feriu nesta vida, alguém que desejei para fazer feliz, para ser a mãe dos meus filhos e que, tal como o meu pai, me deixou nesta estrada da vida ferido e a sangrar da alma, quase morto e a desejar um abraço gélido e eterno da morte. Está difícil de aguentar este dia, a cada lágrima que cai, um passo para essa intemporal morte que teima em não me abraçar, que teima em não me receber de braços abertos. Tento sobreviver mas cada vez aguento menos estes dias de angústia em que tenho de “fingir” que está tudo bem, custou-me tanto trabalhar com isto na mente hoje… Mas a vida vai continuando castigada por estes castigos contínuos que me fazem sangrar da alma, que reabrem todas as feridas passadas que ainda não cicatrizaram. Resta-me deitar e encostar a cabeça, tentar descansar a mente de todos estes fantasmas e tentar adormecer com estas lágrimas todas a fugir dos olhos já sem brilho pela vida, por estes olhos mortos e inertes que reflectem uma alma tão… tão… sei lá…

 
2 Comentários

Publicado por em 19 de Março de 2012 em amor, desgosto, dor, eu, lágrima, morte, sofrimento

 

Etiquetas: , , , , , ,

auto identidade

There are times when all the world’s asleep
The questions run too deep
For such a simple man
Won’t you please, please tell me what we’ve learned
I know it sounds absurd
But please tell me who I am
.

Supertramp – The logical song

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 6 de Março de 2012 em eu, questão

 

Etiquetas: ,

EU não sou o único…

Resistência – Não Sou o Único

Pensas que eu sou um caso isolado
Não sou o único a olhar o céu
A ver os sonhos partirem
À espera que algo aconteça
A despejar a minha raiva
A viver as emoções
A desejar o que não tive
Agarrado às tentações

E quando as nuvens partirem
O céu azul ficará
E quando as trevas abrirem
Vais ver, o sol brilhará
Vais ver, o sol brilhará

Não, não sou o único
Não, sou o único a olhar o céu
Não, não sou o único
Não, sou o único a olhar o céu

Pensas que eu sou um caso isolado
Não sou o único a olhar o céu
A ouvir os conselhos dos outros
E sempre a cair nos buracos
A desejar o que não tive
Agarrado ao que não tenho
Não, não sou o único
Não sou o único a olhar o céu

 
1 Comentário

Publicado por em 23 de Fevereiro de 2012 em eu, música, resistência

 

Etiquetas: , ,

fuga #2

“Foges em companhia de ti próprio:

é de alma que precisas de mudar, não de clima.”

Seneca

Como entendo, tentei mudar o mundo e falhei, tentei mudar o meu mundo e falhei, tentei fugir do mundo e isolei-me mas tudo me perseguia, todo o sofrimento me acompanhou, tentei fugir de mim mas não é possível, só me resta… mudar a minha alma, o meu ser, a minha essência.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 20 de Fevereiro de 2012 em eu, fuga, seneca

 

Etiquetas: , ,

a luz…

Há sempre uma luz ao fundo do túnel? Por vezes parece que a vislumbro mas cedo se revela uma miragem e as trevas voltam a abraçar-me na frieza solitária da sua escuridão. Quase sempre me parece tão longe, tão distante e tão frágil esta luz que teimo, em vão, atingir. A luz parece fugir de mim como se fosse o destino de todos menos o meu, quase me amaldiçoa à escuridão que, envolta no meu ser, não me deixa escapar. Só espero atinjir essa luz, um dia, e que essa luz não se revele ser a morte…

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 15 de Fevereiro de 2012 em eu, felicidade, tempo, vida

 

Etiquetas: , , ,

hoje sinto…

hoje sinto-me destruído por quem me devia ter construído

hoje sinto-me abandonado por quem me devia ter acolhido

hoje sinto-me morto por quem me devia ter dado vida

hoje sinto-me entrestecido por quem me devia dar a felicidade

hoje sinto-me traído por quem eu confiei e devia ter confiado

hoje sinto-me nada por quem me devia ter feito sentir tudo

hoje sinto-me mal quando devia sentir-me bem…

 
2 Comentários

Publicado por em 15 de Fevereiro de 2012 em alma, eu

 

Etiquetas: ,

 
%d bloggers like this: