RSS

Arquivo da Categoria: Luís Filipe Castro Mendes

amor XXXI

Das Palavras

As palavras mais simples 
foram as que te dei; 
o amor não sabe outras, 
só estas fazem lei. 
As palavras de uso 
mais comum e vulgar 
são as que amor conhece. 
Com elas nos pensamos; 
é nelas que tememos 
desacertos, enganos; 
se nelas triunfamos, 
já delas nos perdemos. 
Com palavras vulgares 
se diz o mal de amor, 
seu riso, seu espelho, 
o que fica da dor. 
E todos os mistérios 
que se fazem promessa 
e se perdem nos versos 
e dos corpos nasceram 
são aqui cerimónia 
evidente e secreta 
nas mais simples palavras 
que conhece o poeta.

Luis Filipe Castro Mendes, in “Os Amantes Obscuros”

 
 

Etiquetas: , , ,

sombra

“Sombra”

Na sombra que o cansaço em mim demora
perpassam só memórias que no verso
se tornam alusão inconsistente

Mas não esqueci teu corpo: que não esquece
O que a memória não reteve nunca
Senão no vivo jeito de perder-se

 

Luís Filipe Castro Mendes In Poesia Reunida


 
 

Etiquetas: , ,

 
%d bloggers like this: