RSS

Arquivo da Categoria: miguel torga

verdades?

As Chamadas Verdades Essenciais do Homem

As chamadas verdades essenciais do homem lembram-me às vezes números de um grande programa que os tambores anunciam pelas ruas fora que vai ser deslumbrante e cumprido à risca, e que os pobres actores, à noite, realizam sabe Deus como, a passar em claro cenas inteiras. A afirmar e a prometer, nenhum bicho leva a palma ao colega antropóide. Mas é vê-lo em plena representação, ou depois dela, no camarim, nu e lavado. Que miséria! A justiça imanente que pregou e demonstrou, acrescenta-lhe, por segurança, o ergástulo e o carrasco; ao pecado, junta-lhe a confissão; à predestinação, o livre arbítrio; à morte, a ressurreição. Lembra-me sempre a velha história dos castelos de heroísmo e fidelidade, com a portinha da traição disfarçada nas muralhas…

Miguel Torga, in “Diário (1943)”

Nós só vemos o espectáculo que os outros mostram para as câmaras, o mais importante da vida, o real, fica nos bastidores deste teatro que é a nossa vida…

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 3 de Fevereiro de 2012 em Homem, mentira, miguel torga, verdade

 

Etiquetas: , , ,

vida #53

A Vida não Cabe numa Teoria

A vida… e a gente põe-se a pensar em quantas maravilhosas teorias os filósofos arquitectaram na severidade das bibliotecas, em quantos belos poemas os poetas rimaram na pobreza das mansardas, ou em quantos fechados dogmas os teólogos não entenderam na solidão das celas. Nisto, ou então na conta do sapateiro, na degradação moral do século, ou na triste pequenez de tudo, a começar por nós. Mas a vida é uma coisa imensa, que não cabe numa teoria, num poema, num dogma, nem mesmo no desespero inteiro dum homem. A vida é o que eu estou a ver: uma manhã majestosa e nua sobre estes montes cobertos de neve e de sol, uma manta de panasco onde uma ovelha acabou de parir um cordeiro, e duas crianças — um rapaz e uma rapariga — silenciosas, pasmadas, a olhar o milagre ainda a fumegar.

Miguel Torga, in “Diário (1941)”

A vida não foi feita para se pensar, para se teorizar sobre ela, foi feita para ser vivida, com maior ou menor facilidade. A vida não é complicada, nós é que a complicamos para nós e para os outros… Seria simples…

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 18 de Outubro de 2011 em miguel torga, vida

 

Etiquetas: ,

luta II

Guerra Civil

É contra mim que luto
Não tenho outro inimigo.
O que penso
O que sinto
O que digo
E o que faço
É que pede castigo
E desespera a lança no meu braço

Absurda aliança
De criança
E de adulto.
O que sou é um insulto
Ao que não sou
E combato esse vulto
Que à traição me invadiu e me ocupou

Infeliz com loucura e sem loucura,
Peço à vida outra vida, outra aventura,
Outro incerto destino.
Não me dou por vencido
Nem convencido
E agrido em mim o homem e o menino.

Miguel Torga

A minha guerra, ainda é comigo mesmo...

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 17 de Julho de 2011 em eu, luta, miguel torga, poesia

 

Etiquetas: , , ,

 
%d bloggers like this: