RSS

Arquivo da Categoria: sonho

sonho #9

“O que mais nos incomoda é ver nossos sonhos frustrados. Mas permanecer no desânimo não ajuda em nada para a concretização desses sonhos. Se ficarmos assim, nem vamos em busca dos nossos sonhos, nem recuperamos o bom humor! Este estado de confusão propício ao crescimento da ira, é muito perigoso. Temos de nos esforçar e não permitir que a nossa serenidade seja perturbada.”

Dalai Lama

Anúncios
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 12 de Agosto de 2012 em sonho

 

Etiquetas:

sonho #8

Pudesse eu ser tu
E em tua saudade ser a minha própria espera.

E sonho-te
Quando ansiava ser um sonho teu.

Fica aqui o poema completo:

O Amor, Meu Amor

Nosso amor é impuro
como impura é a luz e a água
e tudo quanto nasce
e vive além do tempo.

Minhas pernas são água,
as tuas são luz
e dão a volta ao universo
quando se enlaçam
até se tornarem deserto e escuro.
E eu sofro de te abraçar
depois de te abraçar para não sofrer.

E toco-te
para deixares de ter corpo
e o meu corpo nasce
quando se extingue no teu.

E respiro em ti
para me sufocar
e espreito em tua claridade
para me cegar,
meu Sol vertido em Lua,
minha noite alvorecida.

Tu me bebes
e eu me converto na tua sede.
Meus lábios mordem,
meus dentes beijam,
minha pele te veste
e ficas ainda mais despida.

Pudesse eu ser tu
E em tua saudade ser a minha própria espera.

Mas eu deito-me em teu leito
Quando apenas queria dormir em ti.

E sonho-te
Quando ansiava ser um sonho teu.

E levito, voo de semente,
para em mim mesmo te plantar
menos que flor: simples perfume,
lembrança de pétala sem chão onde tombar.

Teus olhos inundando os meus
e a minha vida, já sem leito,
vai galgando margens
até tudo ser mar.
Esse mar que só há depois do mar.

Mia Couto, in “idades cidades divindades”

 
4 Comentários

Publicado por em 11 de Abril de 2012 em amor, mia couto, poesia, sonho

 

Etiquetas: , , ,

amor, sonho e vida

Só há uma condição que pode fazer com que sintamos que a realidade da vida seja mais bonita que o mais lindo dos sonhos, essa condição é o amor…

.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 31 de Março de 2012 em alma, sonho, vida

 

Etiquetas: , ,

sonhar… II

“Sometimes I feel nobody gives me no warning
Find my head is always up in the clouds in a dream world
It’s not easy living on my own, my own, my own

Freddie Mercury – Living On My Own

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 16 de Setembro de 2011 em solidão, sonho

 

Etiquetas: ,

lua III

Hoje a lua está simplesmente divinal. O luar que me ilumina não chega à alma e traz com ele memórias e recordações de um passado que, apesar de tudo, não chegou a futuro. Relembro, ao luar, todas as palavras, todas as promessas, imagino como seria ver-te ao luar, amar-te na companhia solitária da lua, sentir o teu corpo encostado ao meu, olhar para ti e ver que, afinal, a lua não é assim tão bela, quando estás a meu lado. São desejos e sonhos que, com as lágrimas nos olhos, conto a essa minha confidente e companheira de eternidades infinitas de solidão, que é a minha amiga lua…

 
4 Comentários

Publicado por em 13 de Setembro de 2011 em alma, amor, desejo, eu, lua, saudade, solidão, sonho

 

Etiquetas: , , , , , , ,

sonho VIII

Quimeras

Há na minha vida quimeras distantes, 
Quais nuvens errantes, em dias atrozes. 
Eu corro atrás delas, mas elas, por fim, 
Perdem-se de mim, no horizonte, velozes. 

Há no meu diário silenciosas dores, 
Quais flores que o vento desfaz de manhã. 
Com elas me embalo nos dias soturnos, 
Dir-se-iam «Nocturnos», como os de Chopin. 

Há no meu caminho nem sei bem o quê. 
Alguém que me vê e que eu não visiono. 
São meus dias passados, meus dias de infância, 
Sabendo à fragrância das tardes de Outono. 

Saudades, saudades, sentido da vida, 
Um dia vivida e que não volta mais. 
Meus dias passados, sobre eles me debruço, 
No eterno soluço das coisas mortais. 

Há na minha vida um viver fictício, 
Fogo de artifício, esplendente e altivo. 
Eu vejo-o enlevado, um instante fugaz, 
Depois se desfaz na noite em que eu vivo. 

Há na minha vida ignotas tristezas, 
Pequenas certezas a que me apeguei. 
Com elas eu vivo, com elas eu morro, 
Para meu socorro é que eu as criei. 

Quimeras, quimeras, fumo de cigarro, 
Cachimbo de barro que um dia quebrei. 
Ópio sagrado, num templo budista, 
Já longe da vista, e que eu nunca fumei. 

Alfredo Brochado, in “Bosque Sagrado”

Sonhos, desejos e quimeras. Tudo faz parte da nossa vida. Alguns perseguem os sonhos, acreditando que são possivelmente realizáveis. Outros nem tentam, os sonhos são sonhos. Tudo se perde através do tempo, tudo se transforma, se altera em outros sonhos. Mas é importante sonhar, é importante ter algo que possamos sonhar porque sem sonho a vida é morte, sem desejo a vida é inerte, sem quimeras a vida é existência apenas.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 4 de Setembro de 2011 em Alfredo Brochado, poesia, sonho, vida

 

Etiquetas: , , ,

o impossível

Houve um comentário que me fez aprofundar o conceito de impossibilidade. Durante muito tempo acreditei que o impossível era apenas o que violasse as leis da física porque somos regidos na macro escala da realidade da nossa existência. As leis da física explicam todas essas impossibilidades como, por exemplo, voarmos, viajarmos no tempo (pelo menos para o passado da nossa realidade), saltarmos até à lua, sei lá, tanta coisa que é impossível e há a explicação cientifica para esses factos. Agora junto a estas “impossibilidades físicas” as “impossibilidades sociais”. Impossibilidades, que embora tenham probabilidades infinitamente mínimas de aconteceram, não nos é possível porque não dependem apenas de nós, mas também de outros factores sociais, de outros seres sociais. Isto não impede a tentativa, o tentar realizar o sonho ou o desejo, mesmo que seja praticamente impossível. Creio que os sonhadores tentam mais realizar os sonhos, acreditam menos na qualidade do impossível, talvez os sonhadores sofram mais por isso, por tentarem, por lutarem por um sonho… Como escreveu a visitante Sél, querer não é poder e a teoria não é a prática. As pessoas mudam, tal como as suas opiniões vão mudando com a sua experiência de vida, alterando o modo como olham o mundo. Nisto eu também mudei, cresci, cada vez menos vejo o mundo com os olhos de um sonhador para ver com os olhos de um conformado, algo que nunca gostei, de conformismo perante a vida. Aceitar a impossibilidade de algo é o primeiro passo para acreditar que um sonho é isso mesmo, um sonho… Tem as suas vantagens e as suas desvantagens… Lutar por algo que desejamos é acreditar na possibilidade de realização do sonho. Gostava de poder dizer aos outros que se querem algo que lutem mas, já não consigo. Já não sou capaz nem eu de lutar quanto mais dizer aos outros que lutem. Enfim, tudo se resume a se algo vale a pena a nossa luta. O muito que lutei, por mais desgastante que tenha sido, lutei pelo que queria, pelo que desejava, pelo que, ainda hoje, acredito ser a minha alma gémea. Apesar de tudo o que mudei, eu sei que lutaria outra vez… Para terminar, acrescento que somos nós que delineamos a linha do impossível, cabe a nós fazer a nossa parte para a possibilidade do impossível, nada acontece apenas porque o desejámos…

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 3 de Setembro de 2011 em luta, sonho, vida

 

Etiquetas: , ,

 
%d bloggers like this: