RSS

Arquivo de etiquetas: amor

O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá

 O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, Jorge Amado

Anúncios
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 22 de Agosto de 2012 em amor, escrita

 

Etiquetas: ,

amor #62

“Se há tulipas no teu jardim
Serei o chão e a água que da chuva cai
Para te fazer crescer em flor, tão viva a cor
Meu amor eu sou tudo aqui…

The Gift – Primavera

 
2 Comentários

Publicado por em 19 de Julho de 2012 em amor

 

Etiquetas:

sorriso #3

“Hei-de te amar, ou então hei-de chorar por ti
Mesmo assim, quero ver te sorrir…

The Gift – Primavera

 
2 Comentários

Publicado por em 19 de Julho de 2012 em amor, sorriso

 

Etiquetas: ,

sorriso #2

“E se inventado, o teu sorriso for
Fui inventor
Criei o paraíso assim”

The Gift – Primavera

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 19 de Julho de 2012 em amor, sorriso

 

Etiquetas: ,

amor #61

“É certo, afinal de contas, que neste mundo nada nos torna necessários a não ser o amor.”

Johann Wolfgang von Goethe

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 13 de Julho de 2012 em amor, angústia, solidão

 

Etiquetas: , ,

sacrifício

“Um grande sacrifício é fácil, os pequenos sacrifícios contínuos é que custam.”

Johann Wolfgang von Goethe

E um grande sacrifício contínuo?

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 13 de Julho de 2012 em amor, vida

 

Etiquetas: ,

império dos sentidos

Quando tudo era a tua presença…

 

Sentido da visão:

Olhar-te, ver-te, admirar a tua beleza nos meus olhos. Deslumbrar-me com cada traço, cada curva, cada saliência cada cor do teu rosto, do teu corpo. Tudo em ti era belo, tudo era lindo. Em ti vi a perfeição. Eras a luz da minha escuridão, eras a beleza neste mundo feio, eras a cor neste mundo cinzento e negro.

 

Sentido da audição:

A tua voz encantava o meu ser, um doce canto de sereia que me seduzia a cada tom. Cada timbre, cada sussurro, cada riso eram uma balada que me embalava no teu amor. Ouvir-te era abstrair-me de tudo o mais que nos rodeava, que me fazia focar na mais linda melodia que jamais tinha apreciado igual.

 

Sentido do paladar:

Lembro-me da doçura dos teus beijos, da doçura dos teus lábios nos meus. Néctar dos deuses que eu saboreava com todo o gosto, desejando sempre e sempre mais. Não havia nada mais doce, nada mais que eu quisesse provar. Eras a minha iguaria, o prato saboroso da minha alma. Simplesmente… deliciava-me com o sabor dos teus beijos.

 

Sentido do tacto:

O meu corpo vibrava com o toque do teu. Um toque, um abraço, o calor do teu corpo no meu, tudo era um êxtase, um motivo de alegria para o meu ser. Momentos finitos com uma intensidade infinita. E cada toque teu era o calor que aquecia a frieza da minha alma, era o calor que mantinha a minha alma viva.

 

Sentido do olfacto:

Sentir o cheiro do teu corpo, do teu perfume, do teu aroma era o elixir da minha felicidade. Aroma que era mais aprazível  e mais agradável que todos os jardins do mundo. Com os olhos fechados, encostado a ti, sentia esse aroma e voava nas asas de um amor que tinha tudo para ser mais do que temporal, inha tudo para ser eterno.

E, NA TUA PRESENÇA, TODOS OS MEUS SENTIDOS SE INFLAMAVAM E FAZIAS-ME SENTIR NUM SONHO LINDO E PERFEITO, ERAS O MEU PARAÍSO…

AGORA TODOS OS MEUS SENTIDOS SENTEM A AGONIA DO INFERNO QUE É A TUA AUSÊNCIA…

MUNDO SEM COR

MUNDO DE RUÍDO

MUNDO AMARGO

MUNDO FRIO

MUNDO INOLOR

 
10 Comentários

Publicado por em 9 de Julho de 2012 em amor, saudade

 

Etiquetas: ,

 
%d bloggers like this: