RSS

Arquivo de etiquetas: lágrima

saudade #7

Saudade é um sentimento que quando não cabe no coração, escorre pelos olhos.

(????)

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 7 de Abril de 2012 em lágrima, saudade

 

Etiquetas: ,

lágrimas #11

Ainda tenho muitos destes dias em que tudo é saudade, cada gesto, cada aroma, cada cor me transporta para o que já foi, para o que já acabou. E esta saudade mata-me, este desejo constante de ti, do teu amor, do teu toque, do teu abraço, do teu calor, do teu corpo, do teu aroma, de tudo o que eras para mim transforma-se em sofrimento, em dor e angústia. E tudo dentro de mim cresce, intensifica-se e este sofrimento toma conta de meu ser, transborda em lágrimas que derramam incontroláveis dos meus olhos mortos, sem vida nem brilho. Se, pelo menos, cada lágrima levasse definitivamente cada mágoa, cada dor, cada sofrimento…

 

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 6 de Abril de 2012 em amor, lágrima, saudade, sofrimento, tristeza

 

Etiquetas: , , , ,

(in)felicidade #3

Desejava ser possível

juntar toda esta tristeza

pintá-la numa tela

contá-la num conto

cantá-la numa melodia

escrevê-la numa prosa

rimá-la numa poesia

chorá-la numa lágrima

dissolvê-la no mar

e, que ela simplesmente

passasse…

 
2 Comentários

Publicado por em 20 de Março de 2012 em dor, eu, lágrima, sofrimento, tristeza

 

Etiquetas: , , , ,

dia do pai :(

Hoje é dia do pai… Dia que me deixa duplamente infeliz. Por um lado o desgosto de ter tido um pai que só o foi de nome, de resto, nunca foi verdadeiramente meu pai, muito pelo contrário… eu nunca faria o que ele me fez a ninguém, muito menos a um filho. Por outro lado, o desgosto de não ter filhos, algo que evito desejar mas que me massacra a mente todos os dias. O dia já se adivinhava infeliz e desgostoso, não precisava do bónus que tive, ter de rever quem mais me feriu nesta vida, alguém que desejei para fazer feliz, para ser a mãe dos meus filhos e que, tal como o meu pai, me deixou nesta estrada da vida ferido e a sangrar da alma, quase morto e a desejar um abraço gélido e eterno da morte. Está difícil de aguentar este dia, a cada lágrima que cai, um passo para essa intemporal morte que teima em não me abraçar, que teima em não me receber de braços abertos. Tento sobreviver mas cada vez aguento menos estes dias de angústia em que tenho de “fingir” que está tudo bem, custou-me tanto trabalhar com isto na mente hoje… Mas a vida vai continuando castigada por estes castigos contínuos que me fazem sangrar da alma, que reabrem todas as feridas passadas que ainda não cicatrizaram. Resta-me deitar e encostar a cabeça, tentar descansar a mente de todos estes fantasmas e tentar adormecer com estas lágrimas todas a fugir dos olhos já sem brilho pela vida, por estes olhos mortos e inertes que reflectem uma alma tão… tão… sei lá…

 
2 Comentários

Publicado por em 19 de Março de 2012 em amor, desgosto, dor, eu, lágrima, morte, sofrimento

 

Etiquetas: , , , , , ,

lágrimas #10

Every now and then, I get a little bit tired of

Listening to the sound of my tears

.
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 28 de Fevereiro de 2012 em amor, lágrima, sofrimento

 

Etiquetas: ,

lágrimas #9

“As lágrimas são sagradas.

Não são a marca da fraqueza, mas da força.

São mensageiras da dor avassaladora e do amor indescritível.”

Washington Irving

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 6 de Fevereiro de 2012 em lágrima, Washington Irving

 

Etiquetas: ,

lágrimas da alma

Lágrimas Ocultas

Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida …

E a minha triste boca dolorida,
Que dantes tinha o rir das primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!

E fico, pensativa, olhando o vago …
Toma a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim …

E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!

Florbela Espanca, in “Livro de Mágoas”

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 3 de Fevereiro de 2012 em florbela espanca, lágrima, poesia

 

Etiquetas: , ,

 
%d bloggers like this: