RSS

Arquivo de etiquetas: tristeza

difícil adeus

Adeus pode ser a palavra mais difícil que podemos ter de dizer a alguém. O adeus é o inferno em vez do paraíso, é a ausência em vez da presença, é o vazio em vez do preenchimento. é a infelicidade em vez da felicidade, é a saudade em vez do amor… É a tormenta da falta daquele amor, daquele abraço, daquele beijo, daquela pessoa tão especial, da alma que está entrelaçada à nossa e que nos custa tanto deixar ir porque leva com ela a nossa própria essência.

James Blunt – Goodbye My Lover

Did I disappoint you or let you down?
Should I be feeling guilty or let the judges frown?
‘Cause I saw the end before we’d begun,
Yes I saw you were blinded and I knew I had won.
So I took what’s mine by eternal right.
Took your soul out into the night.
It may be over but it won’t stop there,
I am here for you if you’d only care.
You touched my heart you touched my soul.
You changed my life and all my goals.
And love is blind and that I knew when,
My heart was blinded by you.
I’ve kissed your lips and held your hand.
Shared your dreams and shared your bed.
I know you well, I know your smell.
I’ve been addicted to you.

[x2]
Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.

I am a dreamer and when I wake,
You can’t break my spirit – it’s my dreams you take.
And as you move on, remember me,
Remember us and all we used to be
I’ve seen you cry, I’ve seen you smile.
I’ve watched you sleeping for a while.
I’d be the father of your child.
I’d spend a lifetime with you.
I know your fears and you know mine.
We’ve had our doubts but now we’re fine,
And I love you, I swear that’s true.
I cannot live without you.

[x2]
Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.

And I still hold your hand in mine.
In mine when I’m asleep.
And I will bare my soul in time,
When I’m kneeling at your feet.
Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.

I’m so hollow, baby, I’m so hollow.
I’m so, I’m so, I’m so hollow.
I’m so hollow, baby, I’m so hollow.
I’m so, I’m so, I’m so hollow.


 
11 Comentários

Publicado por em 18 de Abril de 2012 em amor, ausência, tristeza, vida

 

Etiquetas: , , ,

lágrimas #11

Ainda tenho muitos destes dias em que tudo é saudade, cada gesto, cada aroma, cada cor me transporta para o que já foi, para o que já acabou. E esta saudade mata-me, este desejo constante de ti, do teu amor, do teu toque, do teu abraço, do teu calor, do teu corpo, do teu aroma, de tudo o que eras para mim transforma-se em sofrimento, em dor e angústia. E tudo dentro de mim cresce, intensifica-se e este sofrimento toma conta de meu ser, transborda em lágrimas que derramam incontroláveis dos meus olhos mortos, sem vida nem brilho. Se, pelo menos, cada lágrima levasse definitivamente cada mágoa, cada dor, cada sofrimento…

 

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 6 de Abril de 2012 em amor, lágrima, saudade, sofrimento, tristeza

 

Etiquetas: , , , ,

olhar #2

E os meus olhos serenos, enigmáticos
Meninos que na estrada andam perdidos,
Dolorosos, tristíssimos, extáticos,
São letras de poemas nunca lidos…

Florbela Espanca, in “A Mensageira das Violetas”

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 31 de Março de 2012 em alma, olhos, tristeza

 

Etiquetas: , ,

(in)felicidade #3

Desejava ser possível

juntar toda esta tristeza

pintá-la numa tela

contá-la num conto

cantá-la numa melodia

escrevê-la numa prosa

rimá-la numa poesia

chorá-la numa lágrima

dissolvê-la no mar

e, que ela simplesmente

passasse…

 
2 Comentários

Publicado por em 20 de Março de 2012 em dor, eu, lágrima, sofrimento, tristeza

 

Etiquetas: , , , ,

(in)felicidade III

Tristeza

Nos dias de tristeza, quando alguém
Nos pergunta, baixinho, o que é que temos,
Às vezes, nem sequer nós respondemos:
Faz-nos mal a pergunta, em vez de bem.

Nos dias dolorosos e supremos,
Sabe-se lá donde a tristeza vem?!…
Calamo-nos. Pedimos que ninguém
Pergunte pelo mal de que sofremos…

Mas, quem é livre de contradições?!
Quem pode ler em nossos corações?!…
Ó mistério, que em toda parte existes…

Pois, haverá desgosto mais profundo
Do que este de não se ter alguém no mundo
Que nos pergunte por que estamos tristes?!

Virgínia Vitorino

Vivemos contradições constantes, por um lado é muito mau falarmos em algo que nos faz mal, por outro lado também é mau sentirmos que não temos ninguém que se preocupe connosco ao ponto de nos perguntarem o que se passa connosco. Só o facto de alguém se preocupar, mesmo que não falemos do assunto, já é bom.

 
2 Comentários

Publicado por em 16 de Setembro de 2011 em poesia, sofrimento, solidão, tristeza, vida, Virgínia Vitorino

 

Etiquetas: , , , , ,

(in)felicidade II

Tristêza

O sol do outomno, as folhas a cair,
A minha voz baixinho soluçando,
Os meus olhos, em lagrimas, beijando
A terra, e o meu espirito a sorrir…

Eis como a minha vida vae passando
Em frente ao seu Phantasma… E fico a ouvir
Silencios da minh’alma e o resurgir
De mortos que me fôram sepultando…

E fico mudo, extatico, parado
E quasi sem sentidos, mergulhando
Na minha viva e funda intimidade…

Só a longinqua estrela em mim actua…
Sou rocha harmoniosa á luz da lua,
Petreficada esphinge de saudade…

Teixeira de Pascoaes, in ‘Elegias’

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 16 de Setembro de 2011 em alma, poesia, Teixeira de Pascoaes, tristeza, vida

 

Etiquetas: , , , ,

alma XXXIX

“A alma resiste muito mais facilmente às mais vivas dores do que à tristeza prolongada.”

Jean Jacques Rousseau

As dores da alma são bem mais profundas, quando prolongadas destroem a alma e levam o corpo de arrasto para aquela armadilha de solidão e sofrimento do qual às vezes se torna impossível escapar…

 
2 Comentários

Publicado por em 24 de Agosto de 2011 em alma, Jean Jacques Rousseau, tempo, tristeza

 

Etiquetas: , , ,

 
%d bloggers like this: