RSS

Arquivo de etiquetas: vida

sacrifício

“Um grande sacrifício é fácil, os pequenos sacrifícios contínuos é que custam.”

Johann Wolfgang von Goethe

E um grande sacrifício contínuo?

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 13 de Julho de 2012 em amor, vida

 

Etiquetas: ,

loucuras…

…There were times in my life
When I was goin’ insane
Tryin to walk through the pain
When I lost my grip
And I hit the floor
Yeah, I thought I could leave
but couldn’t get out the door
I was so sick and tired
Of livin’ a lie
I was wishin that I
Would die…

Aerosmith – Amazing

 
8 Comentários

Publicado por em 17 de Junho de 2012 em loucura, vida

 

Etiquetas: ,

erros #3

I kept the right ones out
And let the wrong ones in…

Aerosmith – Amazing

Chained_Door_by_Kinyin

 
5 Comentários

Publicado por em 17 de Junho de 2012 em eu, vida

 

Etiquetas: ,

voar sem asas…

…And how high can you fly with broken wings? 
Life’s a journey not a destination 
And I just can’t tell just what tomorrow brings…

Aerosmith – Amazing

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 17 de Junho de 2012 em vida

 

Etiquetas:

casa #2

Tenho a certeza que iria adorar viver nesta casinha, ao lado do mar…

Tudo é incrivelmente belo e calmo em seu redor…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fica em A Ver-o-Mar e pertenceu à escritora Luísa Dacosta.

 
2 Comentários

Publicado por em 1 de Junho de 2012 em eu, mar, vida

 

Etiquetas: , ,

um dia…

Um dia as lágrimas desaparecem
Nesse dia a tempestade passa
Um dia voltam os sorrisos
Nesse dia a bonança chega

Um dia o passado deixa de magoar
Nesse dia o futuro será brilhante
Um dia os pesadelos acabam
Nesse dia tudo parecerá um sonho

Um dia o inferno desvanecerá
Nesse dia tudo será um paraíso
um dia a infelicidade termina
Nesse dia a felicidade será real

Um dia a escuridão vai clarear
Nesse dia retornará a luz
Um dia o sofrimento perecerá
Nesse dia renascerá o teu ser
Nesse dia brilharão os teus olhos
Nesse dia a tua alma estará pronta
PARA VOLTAR A SER FELIZ…

 
13 Comentários

Publicado por em 31 de Maio de 2012 em felicidade, vida

 

Etiquetas: ,

just let it shine…

Do you ever feel like a plastic bag
Drifting through the wind, wanting to start again?
Do you ever feel, feel so paper thin
Like a house of cards, one blow from caving in?

Do you ever feel already buried deep?
Six feet under screams but no one seems to hear a thing
Do you know that there’s still a chance for you
‘Cause there’s a spark in you?

You just gotta ignite the light and let it shine
Just own the night like the…

Katy Perry – Firework

Não é uma música que eu goste muito, mas a letra tem muito significado…

 
2 Comentários

Publicado por em 28 de Maio de 2012 em música, vida

 

Etiquetas: ,

naufrágio do ser


O maior naufrágio de um ser é quando se afoga no oceano das suas próprias lágrimas. Quando chega à superfície desse mesmo oceano e não tem nada aonde se agarrar, nada à volta para aonde nadar em segurança, nem um porto à vista, nenhum sinal de terra firme. Quando as forças se perdem volta a afogar-se a pensar no barco da vida aonde já velejou. Hoje sinto-me num desses dias, sem forças…

 
1 Comentário

Publicado por em 24 de Maio de 2012 em eu, vida

 

Etiquetas: ,

memórias #6

…Aqui ao luar,
Ao pé de ti,
Ao pé do mar…

Xutos & Pontapés – Aqui Ao Luar

memórias…

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 24 de Maio de 2012 em alma, amor, memória, vida

 

Etiquetas: , , ,

cansaço #4

Sinto cada vez mais este cansaço
De tanta batalha travada e perdida
Sinto cada vez menos um abraço
Nesta existência chamada de vida
.
Sinto cada vez menos que sou forte
Cansado do meu corpo e da mente
Sinto cada vez mais perto a morte
Espero por ela muito serenamente
.
E meu coração nem à noite sossega
E as horas passam numa escuridão
Sem me teres dado a tua total entrega
Descanso-me aqui na maior solidão
.
Tento entender porque não te esqueço
E odeio-me por não deixar de te amar
Na memória deste amor me aqueço
Sem o calor da beleza do teu olhar
.
 
1 Comentário

Publicado por em 21 de Maio de 2012 em cansaço, eu, vida

 

Etiquetas: , ,

carta… à minha alma

Vai alma, vai, percorre dolorosamente essa via sacra que é a tua vida. Percorre cada palmo, cada centímetro penoso desse caminho errante na mais solitária das solidões. Bem tentas encontrar outra sombra que faça companhia à tua mas não, não encontras nenhuma sombra que queira a companhia da tua. Tudo te dói, tudo te fere, tudo te magoa nesse longo percurso. Cada vez que tentas levantar-te algo ou alguém te desfaz, te desfragmenta mais ainda essa alma. Para ti minha alma, que tanto sofres, que tanto mereces, embora nem sempre o aches, para ti, desejo que te levantes, que faças esse percurso de uma só vez pois, no fim, lá estará à tua espera esse arco-íris da felicidade. Deixarás de ver todo esse cinzento e preto com que pintas e te pintam a vida para veres todas essas cores desse arco-íris que te parece tão utópico, tão irreal, tão longínquo… Mas quero que saibas que existe, que está ao teu alcance, que és capaz de lá chegar. Desejo-te que lá chegues pois alma, tu és eu e eu sou tu. Eu sou o corpo e mente a quem dás vida, mas tens de estar bem minha alma, para que eu também o esteja.

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 16 de Maio de 2012 em alma, dor, eu, vida

 

Etiquetas: , , ,

vida #68

Não são as Circunstâncias que Decidem a Nossa Vida

A nossa vida, como repertório de possibilidades, é magnífica, exuberante, superior a todas as históricamente conhecidas. Mas assim como o seu formato é maior, transbordou todos os caminhos, princípios, normas e ideais legados pela tradição. É mais vida que todas as vidas, e por isso mesmo mais problemática. Não pode orientar-se no pretérito. Tem de inventar o seu próprio destino.

Mas agora é preciso completar o diagnóstico. A vida, que é, antes de tudo, o que podemos ser, vida possível, é também, e por isso mesmo, decidir entre as possibilidades o que em efeito vamos ser. Circunstâncias e decisão são os dois elementos radicais de que se compõe a vida. A circunstância – as possibilidades – é o que da nossa vida nos é dado e imposto. Isso constitui o que chamamos o mundo. A vida não elege o seu mundo, mas viver é encontrar-se, imediatamente, em um mundo determinado e insubstituível: neste de agora. O nosso mundo é a dimensão de fatalidade que integra a nossa vida.

Mas esta fatalidade vital não se parece à mecânica. Não somos arremessados para a existência como a bala de um fuzil, cuja trajectória está absolutamente pré-determinada. A fatalidade em que caímos ao cair neste mundo – o mundo é sempre este, este de agora – consiste em todo o contrário. Em vez de impor-nos uma trajetória, impõe-nos várias e, consequentemente, força-nos… a eleger. Surpreendente condição a da nossa vida! Viver é sentir-se fatalmente forçado a exercitar a liberdade, a decidir o que vamos ser neste mundo. Nem mum só instante se deixa descansar a nossa actividade de decisão. Inclusivé quando desesperados nos abandonamos ao que queira vir, decidimos não decidir.

É, pois, falso dizer que na vida «decidem as circunstâncias». Pelo contrário: as circunstâncias são o dilema, sempre novo, ante o qual temos de nos decidir. Mas quem decide é o nosso carácter.

Ortega y Gasset, in ‘A Rebelião das Massas’

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 1 de Maio de 2012 em Ortega y Gasset, vida

 

Etiquetas: ,

imutabilidade…

“So little time

Try to understand that I’m

Trying to make a move

just to stay in the game

I try to stay awake

and remember my name

But everybody’s changing

And I don’t feel the same”

Keane – Everybody’s Changing

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 1 de Maio de 2012 em mudança, vida

 

Etiquetas: ,

vida #67

Tenho Tanto Sentimento
.
Tenho tanto sentimento 
Que é frequente persuadir-me 
De que sou sentimental, 
Mas reconheço, ao medir-me, 
Que tudo isso é pensamento, 
Que não senti afinal. 
.
Temos, todos que vivemos, 
Uma vida que é vivida 
E outra vida que é pensada, 
E a única vida que temos 
É essa que é dividida 
Entre a verdadeira e a errada. 
.
Qual porém é a verdadeira 
E qual errada, ninguém 
Nos saberá explicar; 
E vivemos de maneira 
Que a vida que a gente tem 
É a que tem que pensar. 
.
Fernando Pessoa, in “Cancioneiro”


 
4 Comentários

Publicado por em 29 de Abril de 2012 em fernando pessoa, poesia, vida

 

Etiquetas: , ,

caminhos…

A vida é uma encruzilhada infinita de caminhos, um  percurso cheio de hipóteses, escolhas e opções. Quantas vezes calcamos até que se nos depara um beco sem saída, sem futuro. Por vezes esse beco sem saída é um caminho que nos fecham ou que nos impedem de percorrer e ficámos sem saber o que fazer. Por um lado é aquele caminho que queremos percorrer, é aquele futuro que queremos para a nossa vida, por outro lado somos impedidos de seguir por esse caminho. E a vida pára, nem avançamos porque já não há saída, nem voltamos para trás nem escolhemos outro caminho porque não queremos. Os passos param mas o tempo continua, implacável e insensível à nossa paragem na vida. As lutas começam, por um lado queremos viver, por outro lado, era aquele futuro que queríamos e outro caminho que não aquele não é vida nem faz sentido. Quanto tempo mais perderei neste beco sem saída para o qual conduzi a minha vida? Eu sei que já dei passos grandes para sair daqui mas sei que ainda algo me agarra, algo me faz permanecer estático e inerte nesse beco. A vida é um labirinto de oportunidades e lutei tanto por uma que não vi as outras todas que perdi, que deixei escapar… Irónico…

 
16 Comentários

Publicado por em 29 de Abril de 2012 em eu, vida

 

Etiquetas: ,

 
%d bloggers like this: